sexta-feira, 14 de março de 2014

PLATAFORMA VIBRATÓRIA: quais os benefícios, tipos de treino e pra quem são indicadas!!!

Plataforma Vibratória: quais os benefícios, tipos de treino e pra quem são indicadas
                                                                                             por Renata Uchôa
A plataforma vibratória foi desenvolvida na década de 70, com o objetivo de auxiliar cosmonautas russos a se exercitarem. Os longos períodos em órbita e ambientes com gravidade zero ocasionavam perda de massa óssea e muscular.
Com o passar do tempo, perceberam que além de propiciar aumento da massa óssea, ganho e tonificação de massa muscular, ela auxiliava em processos de emagrecimento, diminuição de edemas e melhora da celulite.
No Brasil, a plataforma chegou há mais de 10 anos, e só se popularizou quando algumas celebridades a utilizaram para a prática de atividades físicas diárias. Com os resultados proporcionados, elas se revelaram satisfeitas e a plataforma se tornou ainda mais conhecida.
Mas como funciona e qual o seu efeito?
Hoje em dia existem diversos modelos e marcas, e nem todas funcionam da mesma forma ou com a mesma eficácia. Escolhi falar sobre a Power Plate, marca pioneira no país, e que tenho experiência há cinco anos.
A plataforma produz uma frequência de vibração, que pode variar de 30 a 50hz, e funciona como um aumento da carga gravitacional, ou seja, ao realizarmos um exercício recebemos estímulos de contração muscular reflexa, por meio de uma força de compressão vertical, de 30 a 50 vezes por segundo.
A máquina também realiza desvios latero-laterais e antero-posteriores, que propiciam um trabalho de equilíbrio, coordenação motora e propriocepção, tornando ainda mais completa sua ação. Esses estímulos permitem um maior recrutamento de fibras musculares do que em um exercício realizado em solo.
Estudos e pesquisas indicam que os benefícios musculares vão além de melhora de tônus, força e definição.  A prática também auxilia na regulação hormonal, melhora da circulação sanguínea, diminuição de edemas e aumento da produção de colágeno e elastina.
Público
A plataforma vibratória pode ser utilizada por todas as idades, de crianças a idosos, preferencialmente com a supervisão de um profissional especializado.


Tipos de treino
É possível realizar exercícios em pé, sentado ou até mesmo deitado. Agachamentos, flexões de braço, abdominais e treinos de pliometria - com saltos - são exemplos de posturas utilizadas para atingir grupos musculares específicos.
A média de um treino é de 30 minutos, para iniciantes, e 45 minutos para pessoas com experiência e mais tempo de utilização. Nesse período é possível trabalhar o corpo inteiro - membros superiores, tronco e membros inferiores - produzindo um gasto de até 400 calorias.
A utilização da plataforma não pode ser considerada um exercício "passivo", pois é exigido um mínimo de esforço e contração muscular, mesmo inicialmente em exercícios isométricos.
Contra-indicações
As contra-indicações são as mesmas de alguns exercícios realizados em solo: processos inflamatórios, uso de marca passos, pós-operatórios, gravidez, osteoporose em estado avançado,  epilepsia, câncer, doenças cardio-vasculares não controladas; ou em casos agudos de trombose, flebite, enxaqueca, hérnia discal, labirintite e cálculos renal.


Onde encontrar
Atualmente é possível encontrar plataformas vibratórias em academias, clínicas de estética, consultórios médicos e fisioterapêuticos, ou versões mais compactas pra uso domiciliar.

É importante o acompanhamento de um profissional especializado durante a realização dos exercícios, para corrigir as posturas inadequadas e evitar lesões.

-------------------------------------------------------------
Renata Uchôa é fisioterapeuta, pós-graduada em Fisiologia do Exercício, especialista em RPG, Conceito Sohier e Plataforma Vibratória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário